Imagem capa - Visita ao recém nascido: o que fazer e o que NÃO fazer por Juliana Cirera
Recem Nascido

Visita ao recém nascido: o que fazer e o que NÃO fazer

1) Nunca apareça sem avisar 

Tanto no hospital quanto em casa. É legal perguntar se os pais podem receber visitas naquele momento e dar liberdade para ouvir um “não”.


Ah, ligar e falar assim: “Estou com muita vontade de ver vocês. Estou perto da sua casa. Posso passar aí agora?” não é avisar, tá? Ligue e pergunte se eles já estão recebendo visitas e qual dia e horário seria o mais apropriado.


2) Lave as mãos e pergunte se tem álcool em gel assim que chegar 

Não espere que os pais peçam que você faça isso! Mesmo que não vá pegar o bebê, você vai ficar por perto, mexer nas coisas etc. e tal. Recém-nascidos não têm a mesma imunidade que um adulto. Lembre-se disso.


3) Não peça para pegar o bebê

Espere que os pais ofereçam. Nem todo mundo gostar de pegar bebê. E nem toda mãe gosta que peguem o seu filho! Mães de primeira viagem, especialmente, têm a tendência a ser mais superprotetoras. Às vezes, nem ela se sente segura direito de segurar o recém-nascido, quanto mais deixar que outros segurem. Seja compreensivo. Daqui um tempinho, o bebê vai ficar mais firminho e os pais vão implorar para outras pessoas segurarem um pouco.


4) Não dê beijos no bebê (mesmo nas mãos) 

Gente, saliva cheia de germes e bactérias devem ficar longe do bebê! Vi uma notícia bizarra de um bebê que foi contaminado por herpes (por causa de um beijo) ainda no hospital. A gente pensa que é bobagem, mas não é!


5) Evite perguntas inconvenientes e palpites (disfarçados de conselhos)

Deixe que os pais conduzam a conversa pelos assuntos sobre os quais estão confortáveis a falar. Aliás, esta atitude deveria ser para a vida inteira!  


Está conseguindo amamentar? Perdeu peso já? O bebê está dormindo? Estão muito cansados? Esses são temas super pertinentes, mas que ainda podem causar algum desconforto para os recém papais. Talvez a mãe não esteja conseguindo amamentar e esteja se sentindo culpada. Pode ser que ela queira o seu conselho, mas pode ser que ela não queira nem tocar no assunto! Então, minha sugestão é: faça perguntas genéricas. Comece com “como foi o parto?” e deixe o assunto desenrolar naturalmente.


6) Faça visitas rápidas 

A menos que os pais insistam, não fique mais do que 15, 20 minutos. Pense que a mãe amamenta a cada três horas inclusive à noite (quando tem sorte, rs). Considerando que ela passe uns 20 minutos amamentando e outros 20 ninando o bebê, considere que ela tem cerca de 2 horas e 20 minutos de intervalo entre as mamadas para viver e descansar. E você não é a única visita que ela vai receber!


Um bônus: se a mãe precisar amamentar, não fique junto (mesmo que seja mulher) a menos que ela convide. Muitas mulheres, em especial na primeira gravidez, podem ter dificuldades de amamentar. Os primeiros dias são essenciais para “aprender” este momento – tanto mãe quanto bebê. “Plateia” só vai dificultar ainda mais as coisas.